Introdução ao Lean: Vantagens competitivas?

Introdução ao Lean: Vantagens competitivas?

Este artigo tem o intuito de compartilhar conhecimento e também algumas de minhas experiências com a utilização, implantação e manutenção da Filosofia Lean. Espero que todos possam entender a mensagem e obter os benefícios desta cultura.

 

Como surgiu a Filosofia Lean

lean-toyota-production-system cópia

O lean surgiu no Japão, pós-segunda Guerra Mundial, com o nome de Sistema Toyota de Produção (TPS – Toyota Production System), como uma iniciativa que buscava eliminar desperdícios, tornando os processos enxutos através da busca por melhorias. O termo Lean, aparece após anos de estudos e acompanhamento em diversas empresas automobilísticas pelo mundo, pelo MIT (Massachusetts Institute of Technology), que em 1990 lança o livro “A Máquina que mudou o mundo” autor: James P Womack, que concluía que as melhores práticas da indústria automobilística aconteciam na Toyota Motor Company.

Atualmente no cenário do mercado global, diversas empresas desejam ser mais competitivas em relação aos concorrentes e buscam alternativas para reduzir seus custos, estoques, tempos de processos e aumentar seu volume de produção garantindo as entregas no prazo e sem defeitos e retrabalhos. E muitas empresas estão adotando as ferramentas do lean para contribuir na excelência de seus processos.

 

Conceito Lean

principios-filosofia-lean

O lean pode ser definido como um conjunto de conceitos, práticas e ferramentas que foram desenvolvidas para:

  • Eliminar desperdícios;
  • Imprimir velocidade à empresa;
  • Tornar os processos enxutos;
  • Ter aumento de produtividade;
  • Qualidade;
  • Satisfação do cliente (interno/externo);
  • Redução de custo, estoque e tempo de lead time.

Quando os colaboradores passarem a utilizar as ferramentas do lean de forma integrada, então estaremos nos orientando por princípios e quando esses forem praticados e defendidos por todos os colaboradores da organização, nós teremos uma mentalidade enxuta.

A seguir, apresento os princípios do lean e minha experiência que adquiri nos últimos 7 anos trabalhando com a utilização, implantação e manutenção da Filosofia Lean, a fim de oferecer um ponto de partida para aqueles que desejam iniciar uma jornada lean e alcance suas metas:

 

Transparência

transparencia-lean cópia

Para ter um processo transparente, é necessário que as etapas dos processos sejam auto explicativas, de forma que o colaborador ao se deparar com esse processo tenha uma facilidade em executá-lo ou na tomada de decisão. Abaixo alguns exemplos de processos auto explicativos:

  • Gatilhos para acionar o escalonamento;
  • Informes dos dados da produção para comparar “Meta vs Real”;
  • Informes de números de desvios;
  • Métodos e tratativas para solução de problemas;
  • Padrão de ajuste operacional, setup e instruções de trabalho;
  • Organogramas, Matriz de flexibilidade.

 

Padronização

padronizacao-processo-lean

Os padrões representam a forma mais fácil e segura de executar uma tarefa, melhor forma para reter conhecimento, torna os desvios transparentes, é base para estabilizar e melhorar fluxo de trabalho, transmitir conhecimento e treinar novos colaboradores:

  • Check list de aplicação dos padrões de 5S;
  • Instruções de Trabalho operacional;
  • Padrão de parâmetros de processo;
  • Padrão de parâmetros de setup;
  • Padrão de escalonamento de problemas.

Fluxo

mapa-processo-lean-padronizacao cópia

O objetivo é que qualquer tipo de fluxo (pessoas, informações e produtos) ocorram de forma contínua sem que existam gargalos que implicam na parada ou redução da fluidez em determinados pontos da cadeia. Isso torna a organização mais competitiva. Porém nem sempre é possível manter a fluidez dos processos, onde podem ocorrer os estoques entre as etapas produtivas.

 

Flexibilidade

flexibilidade-lean cópia

Flexibilidade significa atender de forma rápida e simples as necessidades dos nossos clientes garantindo confiabilidade aos processos, que as trocas de ferramentas ocorram de forma rápida, os colaboradores trabalhem com flexibilidade e conseguem manter o ritmo nos processos e novos processos e métodos são aperfeiçoados continuamente.

 

Sistema puxado

just-in-time-lean cópia

Diversas empresas trabalham com seus processos empurrando seus produtos para a próxima etapa do processo ou para um estoque. No Sistema Puxado o conceito é baseado no

just in time

onde a produção ocorre a partir da demanda, produzindo somente o necessário, na quantidade certa e no momento exato. Baseado em um funcionamento de um supermercado, onde os clientes compram um determinado produto da prateleira e logo depois conforme uma rota do funcionário do supermercado é abastecido a prateleira com novos produtos.

Perfeição

perfeicao cópia

Fazer correto da primeira vez, sem retrabalho, entregando somente produtos com a qualidade esperada pelo cliente, evitando falhas através de ações preventivas, onde evitar problemas tem prioridade sobre a detecção dos problemas. Os estoques entre processos sem padronização podem ocultar as falhas e o erro percorrer todo o processo podendo gerar um grande número de retrabalho.

 Motivação

trabalho-em-equipe cópia

O envolvimento dos colaboradores é necessário para a implantação de qualquer ferramenta, pois sem os colaboradores comprometidos não é possível adquirir cultura.  Os colaboradores precisam ter responsabilidade por sua área, conhecimento de seus processos e produtos, decisão no caso de problemas e ser orientado por metas e controles de resultados.

 

 Eliminar desperdícios

despedicio cópia

 Eliminar ou transformar as atividades que não agregam valor nos processos em atividades que agregam valor, conforme os 7 grandes desperdícios do lean abaixo:

  1. Excesso de Produção: Produzir acima, ou antes, da necessidade do cliente;
  2. Tempo de Espera: Espera por peças ou disponibilidade de máquinas;
  3. Excesso de Processamento: Etapas dos processos desnecessárias;
  4. Estoque: Inventário acima da necessidade do cliente;
  5. Movimentação: Qualquer deslocamento que se faça sem agregar valor ao produto;
  6. Transporte: Qualquer movimentação de produto que se faça sem agregar valor ao produto;
  7. Retrabalho: Reparo, falha, produto que necessita ser recuperado ou sucateado.



 

Considerações finais

Em um próximo momento, compartilharei mais sobre os conceitos apresentados neste texto.

Deixem seus comentários e feedbacks construtivos, para que eu possa melhorar ainda mais nos próximos textos.

Sugestões de temas relacionados à Filosofia Lean são bem-vindas.

Caso tenham qualquer dúvida, não deixem de entrar em contato, estarei à disposição.

E se gostou, compartilhe e curta a publicação no Facebook.

Obrigado!!!

Abraços,

André Lopes da Silva Junior

Engenheiro de Produção Mecânica e licenciado em Matemática.

 

Referências

http://lean.org.br/

http://www.leanway.com.br/

Graduado em Engenharia de Produção Mecânica pela Universidade Paulista (2010) e Licenciado em Matemática pela Faculdade Claretiano (2014). Com mais de treze anos de experiência profissional em indústrias multinacionais e nacionais, sendo oito anos dedicados para utilização, implantação e manutenção da Filosofia Lean Manufacturing, atualmente trabalha como Engenheiro de Melhoria Contínua na indústria líder de mercado e maior farmacêutica do Brasil, responsável pela disseminação e implantação da Filosofia Lean Manufacturing. Com conhecimento em indústrias de bens de consumo, manufatura de motores e geradores, hospitalar, dispositivos médicos e farmacêutica. Sempre na busca pela qualidade total ao longo da execução dos processos produtivos e administrativos e no desenvolvimento de uma cultura organizacional que esteja alinhado com a estratégia da empresa.

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma reposta