Indústrias farmacêuticas brasileiras vão para Cuba

0
10838

Notícia Publicada pela revista veja em 04/06/2014

Matéria de Reinaldo Azevedo

Mais uma novidade da nossa “presidenta”: migrar as indústrias farmacêuticas para Cuba.

Uma comissão chefiada pelo Carlos Gadelha, secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde esteve em Cuba no início de Junho com um novo plano para auxiliar no desenvolvimento da economia daquele país. E qual é  este plano? A resposta é muito triste para os farmacêuticos brasileiros: Ela quer forçar indústrias farmacêuticas brasileiras a abrirem fábricas em Cuba para a produção de genéricos.

Aliás, Carlos Gadelha é aquele mesmo sujeito que teve um encontro agendado com o doleiro Alberto Youssef, por iniciativa do ainda deputado André Vargas. Lembram?

Parece até piada, mas infelizmente é a mais pura realidade.

A intenção é que Cuba exporte medicamentos genéricos para a América Central, América do Sul, inclusive Brasil.

Como assim???

Hoje o Brasil é um grande exportador de medicamentos genéricos, principalmente para os países do MERCOSUL, e com a abertura de indústrias produtoras de medicamentos em Cuba, ao invés de exportarmos, passaremos a importar tais medicamentos. Não há qualquer lógica nisso!

A consequência básica disso é o fechamento de unidades fabris no país, aumento do desemprego, não só para os farmacêuticos,  aumento do valor do medicamento e diminuição do desenvolvimento da indústria farmacêutica nacional de maneira geral.

Agora imagina a quantidade de impostos que serão cobrados em cima dos genéricos importados?

O pior é que o plano não fica limitado apenas aos genéricos. A intenção é expandir para a produção de medicamentos similares.

generico-brasileiro-feito-em-cuba

Afinal de contas, Dilma tem como iniciativa pessoal dar suporte à economia de Cuba, e dar maior utilidade ao porto de Mariel, este que custou 682 milhões de dólares, obra financiada pelo BNDES.

Aliás, alguém sabia que este porto, conhecido como a “jóia do caribe”,  foi usado para envio de armas para a Coréia do Norte (fonte revista Veja matéria de 14/04/2014)?

Agora também será usada para a enviar medicamentos brasileiros feitos em Cuba para o Brasil.

Nada mais coerente para a  mente dos políticos petistas colaborarem para o pleno funcionamento do país comandados pelos irmãos Castro. Só esqueceram de um detalhe: eles deveriam se preocupar mesmo é com o Brasil!

Caros colegas, se você está tão indignado e revoltado quanto eu, compartilhe esta matéria.

Artigo anteriorPrimeiro médicos cubanos, agora farmacêuticos estrangeiros?
Próximo artigoListas de profissões da área da saúde pelo MERCOSUL
Formada em 2000 em Farmácia industrial pela Faculdades de Ciências Farmacêuticas Oswaldo Cruz, começou a atuar na área farmacêutica em 1998 com projetos científicos e em farmácia de manipulação. Em 2001 iniciou sua carreia em indústria farmacêutica, atuando nas áreas de Controle de Qualidade, Garantia e Gestão de Sistemas da Qualidade, Qualificação e Validação. Com experiência de mais 17 anos no setor, trabalhando em indústrias farmacêuticas nacionais e multinacionais, hoje realiza consultorias e treinamentos para indústrias de medicamentos, indústrias de cosméticos e saneantes, distribuidoras e montadoras de equipamentos da área farmacêutica. Empresária, consultora, blogueira, fundadora do Portal Farmacêuticas e da consultoria que leva o mesmo nome, esposa e mãe de duas filhas, tem como nova missão a criação de um portal, Farmacêuticas, voltado exclusivamente para o mundo farmacêutico, com dicas de projetos, eventos, cursos e notícias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui