Farmácia Clínica In foco – Drogaria com a palavra

Farmácia Clínica In foco – Drogaria com a palavra

Vocês lembram do farmacêutico Leandro Sapucaia, que realizou uma matéria fantástica sobre a diferença entre os repelentes, numa época em que a população se encontrava alarmada com as notícias sobre as doenças transmitidas pelo Mosquito Aedes aegypt? Para quem quiser conferir a matéria é só olhar ao final da entrevista nas fontes.

Pois é, fui atrás dele através do facebook e conversa dali, pergunta daqui e o encontrei.

O propósito desta entrevista que apresentarei é ressaltar a importância dos serviços farmacêuticos e assistência farmacêuticas nos estabelecimentos de saúde denominados Drogarias em todo o País. Temos como legislação que rege a entrevista  a lei federal 13021/2014.

 

 

Vamos saber um pouco mais do nosso entrevistado?

leandro-sapucaia-farmaceuticas-farmacia-clinica

O Leandro Sapucaia, apesar de ser recém formado pela Faculdade de Farmácia Pitágoras de Freitas na Bahia, possui seus conhecimentos acadêmicos e de mercado bem aguçados. Como muitos farmacêuticos, ele é empregado e realiza as suas atividades laborativas em prol de educar, orientar e promover a saúde de sua região.

 

Vamos à entrevista? Navegue e entretenha-se

Portal Farmacêuticas: A legislação 13021/2014 transforma a Drogaria em estabelecimento de saúde. Traz a oportunidade do farmacêutico clínico atuar no setor. Como você vê isso?

Leandro: No âmbito da assistência farmacêutica vejo a lei em prol da saúde e um ganho para a população, pois ao tornar drogarias e farmácias em estabelecimento de saúde existe uma complexidade que engloba dentro da assistência farmacêutica: o farmacêutico atuando na área clinica (promovendo o acompanhamento dos pacientes), o aumento da eficácia do tratamento no que tange a segurança e adesão ao tratamento.

Portal Farmacêuticas: Os serviços farmacêuticos possivelmente serão oferecidos à população dentro de normas sanitárias e protocolos. Você acha que os farmacêuticos estão preparados para tal tarefa ou é necessário se especializar?

Leandro: Apesar dos farmacêuticos saírem com a graduação na modalidade generalista, mesmo assim necessitam de uma preparação na área clínica, onde se profunda o conceito de atenção farmacêutica. Ou seja, é necessário se especializar para cumprir às exigências da legislação 13021/2014.

Portal Farmacêuticas: Dentre os serviços farmacêuticos, ao seu olhar, quais seriam os mais relevantes a serem ofertados em uma drogaria?

Leandro: Todos os serviços clínicos são de importância clinica relevante, porém posso destacar alguns: a aferição de pressão arterial, aplicação de injetáveis e estudo de caso clínico, como acompanhamento de pacientes diabéticos, tabagistas, obesos e hipertensos, podendo encaminhar ao médico ou não. Estes grupos de pacientes são de grande relevância clínica para se prestar a assistência farmacêutica.

Portal Farmacêuticas: E com todas essas oportunidades que surgem, você acha que o mercado brasileiro está pronto para os serviços farmacêuticos nas drogarias e farmácias? Muitas redes de drogarias ainda se posicionam reticentes. Como você enxerga isso tudo?

Leandro: Para a profissão farmacêutica está surgindo cada vez mais oportunidades e o seu crescimento nessa área evoluiu ns últimos 5 anos com as leis e resoluções, e união  dos farmacêuticos. Porém, em contra partida, esbarramos com as questões de espaço físico das drogarias e farmácias, que não são condizentes com o atendimento clinico do farmacêutico. Ainda faltam muitas mudanças até que os Empresários enxerguem como mais um veio lucrativo e de expansão de mercado. E somente quando isso acontecer, espaço físico adequado e consultório farmacêutico equipado, o paciente irá sentir que está em um estabelecimento de saúde.

Portal Farmacêuticas: Não concordaria que para que fosse possível instalar a farmácia clínica nas drogarias, não deveria ser estudado a possibilidade de agregar valor aos serviços farmacêuticos para custear as mudanças?

Leandro: Sim, é preciso realizar um estudo financeiro e estratégico.  Devemos pensar e analisar que os consumidores estão cada vez mais  procurando as drogarias e famácias para procurar orientação sobre pequenos casos clínicos. Portanto, tais estabelecimentos precisam cada vez mais estar equipados, sendo destaque aquele que investir em um consultório farmacêutico e ter um profissional qualificado.

Portal Farmacêuticas: E para finalizar, como você define ser farmacêutico de uma drogaria?

Leandro:

É sentir a importância de cuidar e orientar a população sobre riscos e benefícios dos medicamentos, participar do seu tratamento farmacológico, com o objetivo de garantir a adesão ao tratamento e proporcionar a saúde de forma consciente.

Fontes:

  • http://www.itanhemfest.com.br/portal/?pg=noticia&id=5369
  • Lei Federal 13021/2014

 

 

 

 

 

 

Farmacêutica graduada em Farmácia Industrial pela UFRJ, em 1998 e Pós-graduada em Docência Superior, pelo “Instituto A Vez do Mestre” - Filiada à Universidade Cândido Mendes, 2008. Pós-graduanda em Farmacologia Clínica e Prescrição Farmacêutica pelo Centro Universitário Celso Lisboa com formação prevista para 2018. Experiência em docência de farmacologia para alunos de curso técnico de enfermagem e atuante como propagandista médica na área de farmácia com manipulação, e como Farmacêutica gerente e responsável técnica na preparação de formulações sólidas em outra empresa do mesmo ramo. Experiência ampla, graças aos 14 anos dedicados a cuidar diretamente do paciente; oferecendo orientação farmacêutica, gestão de estoque, capacitação de balconistas quanto noções técnicas farmacêuticas e de farmacêuticos recém-contratados quanto à deontologia e captação de clientes. Fomentando valores, tais como: marketing e vendas e, em paralelo, o uso racional de medicamentos e conscientização da equipe de vendas como promotores de saúde. Iniciante na área de farmácia comunitária em 2002, tendo sido premiada em 2004 e 2011 como destaque na rede varejista Droga Raia onde atuava. Em 2017 findou-se a jornada em mais uma grande empresa varejista Drogarias Pacheco, onde atuava desde 2013 no mesmo segmento. Busca por aprimoramento contínuo, em uma área tímida, denominada Farmácia Clínica; onde os principais valores, como profissional dessa área, estão nas experiências compartilhadas com colegas, em palestras, experiências in loco com os pacientes e cursos que participo, me fazem cada vez mais desbravadora da profissão. Também, a leitura de novas informações em: farmacologia, sociologia, marketing, deontologia e farmacoeconomia, enriquece o meu saber. Como farmacêutica, estimuladora da arte de pensar e colunista da “farmacêuticas.com”, deixo uma citação, para retratar como nós farmacêuticos devemos nos reinventar, para sobreviver no mercado e, ao mesmo tempo, nunca - jamais e em tempo algum - esquecer da saúde e bem-estar de nossos pacientes. Conceitos arraigados em nosso código de ética. “A verdade é que os setores jamais ficam estacionados. Estão sempre em evolução. As operações tornam-se mais eficientes, os mercados se expandem e os atores chegam e vão embora." (A estratégia do Oceano Azul - como criar mercados novos e tornar a concorrência irrelevante - W.Chan Kim e Renée Maouborgne,- Rio de Janeiro: Elsevier, p.6, 2005).

SEM COMENTÁRIOS

Deixe uma reposta