Atenção Farmacêutica

Atenção Farmacêutica

A prática da atenção farmacêutica surgiu devido a necessidade de se prever, evitar e controlar efeitos adversos dos fármacos. A partir da década de 70, as Faculdades e Universidades começaram a introduzir a disciplina de Atenção Farmacêutica em seus currículos aqui no Brasil, dando início a um novo modo de pensar e agir dos profissionais de Farmácia onde deixaram de se enxergar apenas como responsáveis técnicos de seus respectivos ambientes de trabalho e passaram a estar mais presentes na vida dos pacientes.

A Atenção Farmacêutica tem como principal objetivo tratar dos cuidados que o Farmacêutico deve prestar ao paciente, monitorando os resultados do tratamento farmacológico, a fim de que esse paciente tenha uma melhor qualidade de vida. Esse objetivo é alcançado através de orientações vindas do Farmacêutico, tais como:

  • Características farmacológicas do medicamento
  • Administração
  • Possíveis interações com outros fármacos ou alimentos,
  • Efeitos indesejáveis
  • Efeitos tóxicos

Além disso, o Farmacêutico deve advertir o paciente a respeito das doenças que mais prevalecem no ambiente ou região onde este convive com a sua família. Portanto, a Atenção Farmacêutica visa a otimização da utilização do medicamento, melhorando o bem estar do paciente, bem como orientá-lo na prevenção de doenças.

Para que isso ocorra de forma objetiva e profissional, será necessária a implantação do Projeto de Atenção Farmacêutica no estabelecimento de saúde de atuação do Farmacêutico (farmácia de Manipulação, Drogaria, Farmácia Hospitalar, etc ). O Farmacêutico deve fazer uma análise do ambiente onde será implantado o Projeto de Atenção Farmacêutica. Só a partir dessa análise, é que se pode detalhar o local do projeto a fim de que saia tudo conforme planejado.

 

Instalações Físicas

atencao-farmaceutica-prescricao

As instalações físicas devem ser avaliadas quanto às condições de salas ou consultórios bem como a capacidade física para acomodar a  quantidade de profissionais que atuarão no estabelecimento de saúde.

Devem ser relacionados todos os profissionais que vão colaborar com o projeto, em termo de quantidade e respectiva formação ( farmacêuticos, médicos, enfermeiros, etc ), a carga horária e a disponibilidade;

Para adequada atuação do farmacêutico e dos demais colaboradores, é necessário que no ambiente haja:

  • Livros
  • Guia de medicamentos
  • Computadores com acesso à internet  para pesquisa em sites de busca e softwares relacionados devidamente instalados.

 

Deve também ser considerado o âmbito de atuação do Farmacêutico – Drogaria, Farmácia de Manipulação, Farmácia Hospitalar, local público, local privado e até mesmo Home Care;

 

 

Projeto de Atenção Farmacêutica

atencao-farmaceutica (2)

Quando for lançada uma campanha dentro do Projeto de Atenção Farmacêutica, deve ser feito um levantamento do perfil dos pacientes da  localidade ou região x doenças com maior registro de ocorrência com a finalidade de economia de tempo, trabalho e otimização do projeto.  Isso porque seria desnecessário fazer uma campanha de prevenção à malária na cidade de São Paulo, por exemplo.

Também devem ser verificadas:

  • Informações socioeconômicas dos pacientes da região de escolha (pois existem medicamentos de alto custo dificultando a adesão ao tratamento);
  • Grau de instrução;
  • Perfil demográfico: idade, raça, peso, sexo, religião, entre outros.

Somente a partir deste levantamento é que o projeto deverá ser elaborado, devendo conter os seguintes tópicos:

1 – NOME DO PROJETO: O nome deve ser claro para chamar atenção do público-alvo. EX: Campanha Contra a Hipertensão.

2 – JUSTIFICATIVA DO PROJETO: Os motivos de realizá-lo e o que será obtido com a sua realização.

3 – ATIVIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS: O que vai ser realizado no projeto, ou seja, o que vai ser abordado e como será essa abordagem.

4 – RECURSOS: O que se tem de disponível para realizar o projeto, tais como Recursos Humanos – Farmacêuticos, Médicos, Enfermeiros, Psicólogos, Fisioterapeutas, recursos materiais – espaço físico, mesas, cadeiras, telefone, livros e recursos financeiros.

5 – CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO: É o prazo em que o planejamento das ações deve acontecer, podendo ser semanal, mensal ou bimestral, dependendo da frequência dos atendimentos.

6 – MONITORAMENTO DA IMPLANTAÇÃO: Não basta implantar o Projeto de Atenção Farmacêutica, pois o sucesso do mesmo depende da medição dos indicadores, da sua manutenção e do seu aprimoramento.

Após a implantação do projeto, o Farmacêutico precisa adotar uma linha de raciocínio clara e objetiva para pôr em prática tudo que está no papel  dando início a um ato de grande valor: cuidar de vidas. Para tanto, o Farmacêutico se deve utilizar de três ferramentas fundamentais:

 

  • ANAMNESE: Questionário onde o Farmacêutico faz perguntas simples e diretas ao paciente, a fim de realizar uma avaliação prévia do quadro de saúde do paciente, além de deixá-lo à vontade para a consulta farmacêutica a ser realizada.

 

  • ORIENTAÇÃO: Refere-se às instruções fornecidas pelo Farmacêutico quanto a medicação que será administrada ao paciente.

 

  • ACOMPANHAMENTO FARMACOTERAPÊUTICO: Diz respeito ao tratamento Farmacológico do paciente, onde é verificado a adesão ao tratamento, as reações adversas ao medicamento ( RAM ), as alterações fisiológicas do organismo e o tempo de recuperação do paciente.

Depois da avaliação na Consulta Farmacêutica, o profissional terá segurança para planejar suas ações de Atenção Farmacêutica segundo a demanda que se apresentar do estabelecimento de saúde, proporcionando assim, uma melhor qualidade de vida aos pacientes.

 

Tratamento farmacológico e acompanhamento do paciente

Close-up of pharmacist and patient looking at container of medicine

Muitas das vezes, o Tratamento Farmacológico se torna ineficiente devido à falta de conhecimento por parte do paciente, o que pode ocasionar uma série de problemas e, consequentemente, trazer prejuízo à saúde deste.

A seguir, seguem os problemas mais comuns relacionados aos medicamentos:

 

a) Indicações sem tratamento: ocorrem quando o paciente apresenta uma patologia, mas não está recebendo a medicação adequada.

 

b) Seleção inadequada de medicamento: ocorre quando o paciente faz uso de medicação não apropriada para a patologia sofrida.

 

c) Dosagem subterapêutica: ocorre quando o paciente toma a medicação apropriada, mas em dose menor que aquela necessária para produzir o efeito biológico desejado.

 

d) Fracasso no recebimento da medicação: ocorre quando o paciente sabe qual a medicação que necessita tomar para sua patologia, mas não recebe a medicação por problemas financeiros, sociais, psicológicos ou farmacêuticos.

 

e) Sobredosagem: ocorre quando o paciente toma a medicação correta, mas em uma dose maior que aquela necessária para produzir o efeito biológico, ou seja, numa dose tóxica.

 

f) Reações adversas a medicamentos: ocorre quando o paciente apresenta sinais ou sintomas oriundos da administração do fármaco, porém esse efeito não é o que se desejava obter com o seu uso.

 

g) Interações medicamentosas: ocorre quando o paciente apresenta um sinal ou um sintoma oriundo da interação do fármaco com outro medicamento, ou com a alimentação, ou mesmo apresenta alterações laboratoriais quando da interação do medicamento com o exame.

 

h) Medicamento sem indicação: ocorre quando o paciente faz uso de uma medicação sem a orientação médica.

 

O paciente que adere totalmente ao programa de atenção farmacêutica terá maiores chances de lograr êxito e alcançar melhor qualidade de vida. Para tanto, é necessário que os profissionais da saúde promovam a educação e a orientação constante desses pacientes. Além do mais, o paciente, mesmo aderindo ao programa ou tratamento, pode apresentar respostas biológicas variáveis a ele, dependendo da variação biológica de cada organismo. Nessa etapa também entra a importância da Atenção Farmacêutica ao analisar essas respostas e acompanhar o tratamento do paciente.